{Coletivo} Não há Carnaval aqui, só Química

Bom dia, leitores!

Mês de fevereiro, semana de carnaval, e a postagem coletiva pede que contemos como foi o Carnaval mais memorável de nossas vidas. Segure-se na cadeira, pois a história vai ser louca.

Mentira, as minhas histórias nos períodos carnavalescos se resumem a ficar em casa e aproveitar o feriado como uma boa pessoa preguiçosa: no computador, vagando sozinha pela internet (já que os amigos estão em Olinda, no Recife Antigo ou em outros pontos com blocos de rua e/ou festinhas ao ar livre). Mas foi em fevereiro de 2010 que eu percebi um modo diferente de aproveitar esses momentos.

De boas, curtindo minha produção intelectual (não são cristais)

Em 2010, eu entrei no 1º ano do Ensino Médio. Desde janeiro daquele ano eu e meu pai já tinhamos nos juntado para fazer matrículas em cursinhos (sim, no 1º ano – e continuamos com os planos no 2º e no 3º também) e tinhamos discutido minha escolha de curso: Medicina – ele é médico, ou seja, teve um pouco de argumentação a favor da profissão. Eu adorava Biologia desde minha tenra infância, mas desde a 7ª série (8º ano atual) eu vinha criando consciência social e política, até que a Medicina tornou-se um trabalho que eu pudesse exercer um bem para a sociedade diretamente. Não digo que os biólogos não fazem isso, mas acabei convencida de que ser médica era uma boa opção de vida também.

Chegou o carnaval de 2010, e meu pai pergunta: “E então, como está o 1º ano?”
“Tudo normal! Só química aparentou andar com o assunto.
“Andou quanto?”
“Deixa eu ver *abre livro*”

Mini-infartos

Valha-me Deus, 4 capítulos e mais de 100 páginas para estudar e não deixar acumular mais. Eu só tinha o Carnaval para conseguir compensar esse atraso.

Nesse ano de 2010, a Química simplesmente me fez sofrer. Eu tentava de todas as formas estudá-la e tirava 6, 6.5, 7… Para falar a verdade, até me esqueci de como eu consegui passar sem precisar de uma prova final (devem ter sido os trabalhos). Toda essa lição do Carnaval e da Química de 2010 eu acabei levando para os anos seguintes.

Se o meu objetivo era passar no vestibular, o meu único caminho era estudar, e estudar muito. Os assuntos de Química sempre foram os mais rápidos, ao meu ver. No 3º ano, já “treinada e experiente”, o cursinho de Química (sim, guardei o melhor pro final) enviava cerca de 50 a 75 questões semanais para fazermos, e no carnaval de 2012, eu acumulei 125 questões para resolver. Sério, como eu ainda deixei acontecer isso?

Já deu

Sorte minha (sorte?) eu viajei para o interior de Pernambuco e pude me isolar de tudo – especialmente, da internet, pois eu ainda não tinha 3G -, assim conseguindo cumprir minha obrigação de 125 questões. Fiz todas numa antiga mesinha de máquina de costura. Eu estava na casa da minha avó – saudades.

No 2º ano (2011), ela foi um docinho de coco, mas mesmo assim usei meu Carnaval para estudar outros assuntos, como Física. Por que essas matérias não podem ser como a Biologia: linda, diva, auto-explicativa e cheia de seres estranhos?

Para estar totalmente focado, você precisa “fugir” de vez em quando

Apesar dos possíveis sofrimentos psicológicos, a Química me ensinou lições valiosas sobre a vida. Eu sempre achava muita beleza nela quando desenvolvia meus raciocínios nas questões. Ela me apresentou a rigidez de um mundo que só os que lutam com todas as armas tendem a encontrar algum resultado em menos tempo.

Foi bom ter cedido meus carnavais por ela. Ninguém é obrigado a fazer isso, foi uma escolha minha. Mas acredito que foi uma das mais importantes da minha vida.

Afinal, eu passei.

Agora eu cedo meus carnavais para assuntos relacionados à área médica e para o blog. Não é ruim, eu me divirto bastante. Pelo menos a grande pressão de um vestibular se foi. Hoje em dia, eu sou livre para fazer o que melhor sei: estudar e usar a internet kkkk

__

Aproveitem o Carnaval! Da sua maneira, lógico!

__

Fontes: Imagens da série Breaking Bad encontradas no Google
Perdi o link da foto do Semi-Árido de New Mexico
Walter WhiteJesse Pinkman (1)Jesse Pinkman (2)Trio Principal

~ Maíra Azevedo
07.02.2016 / Não subestimem a Química. Nunca.

Clique aqui para comentar sem precisar subir o post

Anúncios

16 comentários sobre “{Coletivo} Não há Carnaval aqui, só Química

  1. Acho tão lindo pessoas que estudam medicina ❤ isso já me passou pela cabeça, mas eu não consigo ver sangue e nem pensar sobre o que acontece dentro de um corpo (honestamente, prefiro não saber). Do combo química física e biologia eu tinha problemas com todos, mas acho que química era o menos pior porque eu curtia desenhar aqueles átomos e coisas assim. Agora, a disciplina de estudar horas a fio só fui adquirir na faculdade quando precisei aprender matemática depois de tantos anos enrolando, hehehe. Bjs!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Moça, olha, você é muito corajosa!
    Deixar meus feriados de lado p/ estudar? Nunca! XDD
    Adorava todas as matérias e ia bem em todas (fiquei metida agora U_U KKKK)
    Lembro que quando estava na escola nunca tirava nota abaixo de 7 – 8 e olha que sou de humanas (mas que acabou em exatas e está indo p/ saúde… oi?masoq?) Eu estudava tudo o que podia durante a aula e a semana p/ o fim de semana e feriados eu poder fazer o que quisesse =3
    Ah, sim, como a coleguinha disse ali em cima, assista sim Doctor Who, você não vai se arrepender ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • kkkkkkk vou assistir a Doctor Who sim, prometo!
      Eu tento ter uma disciplina para estudar nos dias de semana, mas tem vezes que eu chego só o caco em casa e não consigo abrir o livro sem dormir em cima dele (um dia acordei com uma leve dor no pescoço depois de 10 minutos apagada). Ai ai, que vida!
      Acho que toda área da faculdade tem sua beleza e desperta um interesse! Não me surpreendo em vê-la caminhar por todas ^-^ Faça a melhor escolha!
      Beijinhos, Carol!! ❤

      Curtir

  3. Me identifiquei super com o seu texto!!! Só que o meu problema, na verdade, sempre foi com física. Mas graças a Deus já me livrei dessa matéria! Hahahahahaha
    No carnaval, quando não estou viajando, fico em casa mesmo, já que meus amigos sempre participam dos blocos e tal. Geralmente eu nem tocava no livro, mas agora que to na faculdade, isso acabou *infelizmente* kkkkkkkkkkkkkkkkk. Tive mil textos pra ler e fichar, e ainda tenho uma matéria pra estudar que ainda nem comecei, SOS! Mas vai dar tudo certo, até domingo vai estar tudo em dia, hahahahahahahaha.

    Com amor,
    Steph • http://naoeberlim.blogspot.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

    • Desculpa pela demora pra responder. Apesar de eu ficar em casa, Recife tá uma loucura e uma virose se disseminou por aqui. Fiquei doente só por respirar. Mas estou melhor agora.
      Tomara que a essa altura você já tenha estudado mais um pouco de tudo e tenha começado a matéria que espera por atenção kkkk É uma loucura mesmo, eu entendo ç_ç Muita boa sorte para nós duas, e que a faculdade não nos mate!
      Beijinhos!! (visitarei seu blog!)

      Curtir

  4. Sou economista e desde meus treze anos tinha consciência de que queria ser economista, mas, ainda assim, Biologia SEMPRE foi minha matéria favorita… Aquela matéria maravilhosa que eu aprendia de primeira e nunca precisava estudar muito, além de, na minha opinião, ser a mais bela das disciplinas justamente por falar sobre como funciona e se organiza a vida. Só nunca tive vocação para biomédicas hehe

    Geografia e História, que de fato são da minha área, eu sempre gostei de estudar sozinha, pois eu detestava ter aula com professores comunistas hahaaha

    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

    • É engraçado ver como tomamos certos rumos já no colégio e isso reflete no nosso futuro! Apesar de nossos gostos, às vezes precisamos ceder por um bem maior (ceder as ciências da saúde para estudar economia, por exemplo).
      Mas eu adorava meus professores comunistas kkkk Aprendi muito com eles. Eu achava os argumentos deles válidos na maioria das vezes.

      Beijinhos, Thaís (desculpa pela demora a responder)!!

      Curtido por 1 pessoa

      • Na verdade meu problema com eles era menos por eles serem comunistas e mais por eles venderem o comunismo como a cura de todos os males e o liberalismo como o diabo, meu problema era a doutrinação, o como em vez de mostrar várias visões diferentes eles só mostravam as deles e ainda silenciavam os alunos que tentavam contestá-los e expor ideias diferentes. Um deles inclusive teve a petulância de me chamar de vendida para o capital porque eu me assumi como liberal e preste a ingressar em um importante faculdade privada de Economia aqui do estado. Eles era bem miseráveis e hipócritas. Apenas dois dos meus profs comunistas eram dignos e não usavam a aula para panfletagem de suas ideias pessoais, mas sim para transmitir conteúdo com diferentes visões. Enfim… rs

        Curtido por 1 pessoa

      • Ah, já vi esse tipo de pessoa, tanto do lado esquerdista quanto do lado mais conservador. Na faculdade de Medicina, a maioria é conservadora e parece esses profs que você mencionou: só ficam falando mal de tudo o que há contrário ao que acreditam e nem me surpreenderia se xingassem para intimidar. É chato ter que ouvir esses extremismos dos dois lados. É possível sim ter uma discussão saudável sem precisar panfletar sua ideia ou desprezar a do outro.
        Você não é vendida por acreditar em algo diferente e estudar em uma faculdade privada. Somos humanas e temos nossos ideais.
        Mas sim, rs para esses professores.

        Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão desativados.